O CRAVO ROXO DO DIABO: O CONTO FANTÁSTICO NO CEARÁ

 

Certos empreendimentos culturais bem poderiam ter melhor incentivo junto a escolas, constando obrigatoriamente dos currículos, fazendo com que o máximo de estudantes (“público” em formação) pudesse dispor de experiências ainda mais interessantes. Seria investimento em humanismo, cultura geral e cultura popular, subjetividades, história, criatividade, vida. É o caso de certas publicações como o livro O Cravo Roxo do Diabo (uma edição de apenas mil exemplares), na verdade uma farta antologia de contos de 673 páginas, capa dura, toda linda.

A organização é por conta do escritor Pedro Salgueiro, conhecido pelo seu talento exigente, com sua escrita muito bem trabalhada. A pesquisa para a compilação dos textos ficou a cargo de Alves de Aquino (O Poeta de Meia-Tigela), do próprio Pedro Salgueiro e do refinado poeta, teórico e professor Sânzio de Azevedo, membro da Academia Cearense de Letras. Um trabalho muito bom! A apresentação é de Aila Sampaio, professora da Unifor, poeta e ensaísta. (clique aqui, por favor!)

A quem deseje apenas a leitura, o que é ótimo, já terá matéria e divertimento de sobra. Porém, servindo como uma espécie de roteiro de escritores cearenses com pés na literatura fantástica, O Cravo Roxo do Diabo é um projeto muito bom para iniciantes, apaixonados e curiosos, além, obviamente, de pesquisadores, professores, etc..

Conforme postagem em que refleti sobre ‘a saudável relação entre literatura/poesia e teatro, onde dei um pouco de ênfase nos nomes de Nilto Maciel e Pedro Salgueiro, aproveito para ressaltar também nesse sentido esta antologia do conto fantástico cearense. O manancial é vasto e dá muita idéia.

Na contracapa, Nilto Maciel, afirma:

“No entanto, nesta coleção, há muito mais do que narrativas curtas de mistério, horror, espanto. Salgueiro (junto com Sânzio de Azevedo e Alves de Aquino) arrancou do fundo da terra ― como um coveiro imortal, sempre a cavar o chão, embora enterre os mortos (seria melhor dizê-lo, pois, arqueólogo) ― peças literárias criadas pela banda sórdida da imaginação humana.”

A partir da página 513 há uma maravilhosa surpresa que tangencia (mas completa) a idéia de contos apenas. Você quer que eu te diga o que é? Ora, se é surpresa, como poderia eu fazer isso?

Leia e descubra! Boa viagem!

_________________________
O Cravo Roxo do Diabo (contos, 2011)
Org.: Pedro Salgueiro
Expressão Gráfica e Editora
Blog de Pedro Salgueiro: Movimento Esperado
___________________________________

Anúncios

Esteja à vontade para comentar, desde que respeitosamente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s