HABITAR A URBE QUE ME REGURGITA

Schädel Adams am Berge Golgatha, Detail einer Kreuzigung mit Hl. Nikolaus und Hl. Franziskus – Fra angelico

 

Moro numa cidade encolhida sobre si, mas não como
um caracol, que este tem ciência amorosa.
Moro numa cidade recolhida ao medo, adrenalina saturada,
álcóol, homens menos homens, e mulheres em revés.

As crianças brincam e sonham
              ― antes da tempestade.

Moro numa cidade onde habitar é preencher
sem avivar: a pedra de cada coração o sabe
em sal e males que o sonho não desterrou.

É findo o tempo, e o amor é um anjo de relho
ao vento: custa dinheiro e estômago.

Moro onde os homens (gênero humano)
se gastam como bestas de mil fomes,
mas sem paladar que lhes dignifique a língua:
as palavras caem de suas bocas multiplicando
                                                       seus tormentos
e a sua ignorância.

______________________
Créditos da imagem: Wikimedia Commons
_________________________________

Anúncios

Esteja à vontade para comentar, desde que respeitosamente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s