PELO CHÃO (VIOLENTO) DA VIDA (Dércio Braúna)

Abtei im Eichwald – Caspar David Friedrich

 

Nenhum mito me apura os ossos.
Nenhum me guarda
ou guardará.
Nenhuma nobilíssima página (de lírica?)
testemunhará que andei entre os homens.

Nenhum mito estenderá ao futuro
a verdade
                de que nos deram por deus
                um bicho ausente.

Nenhum dirá do horror de tudo isso;
nenhum diria de minha toda ira:
                           esta que ilumino
                           com o fogo braçal
                           dos carvões enfurecidos
                           acendendo
                           esse chão (violento) da vida.

__________________________________
Metal sem Húmus
Dércio Braúna
Editora 7 Letras
____________________________________
Créditos da imagem: Wikimedia Commons
 _____________________________________________

Anúncios

Esteja à vontade para comentar, desde que respeitosamente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s