Bodega (Raimundo Candido Teixeira Filho*)

Balança antiga

 

Às vezes, no rústico balcão
de velha tábua enegrecida
o tempo parava…
Às vezes, o vento passava
e o papel de embrulho acenava
convidando o cliente
a absorver o aroma
pungente de couro curtido
que se irradiava no ar…
Só a velha balança parada
com os pratos vazios
ponderava o que havia
de sabor no denso langor
de algo invisível a indicar
que a tarde se dissipava
pesarosa a chorar…
E quando vinha freguês
Antonio, Maria ou João
de caderneta na mão
fiava o açúcar, a farinha,
num embrulho feito com arte
com dedos magros da mão
de um bodegueiro artesão!

* O Professor Raimundo Candido Teixeira Filho nasceu nos Sertões de Crateús, terra do poeta José Coriolano, no Ceará. Tem dois livros de poesias: Karatis e Raiz do poema teorema pra nos tanger e outras esquisitices ao quadrado. Fez parte da coletânea do XIII Prêmios Ideal clube de Literatura na categoria Contos. Tem participado de outras antologias literárias pelo Brasil como I Prêmio Unifor de Literatura e o I Prêmio Cidade Poesia de Bragança Paulista, etc. Está com dois livros em via de publicação, um de Poemas e outro de Crônicas. É membro da ALC, Academia de Letras de Crateús.
_________________________________________

Anúncios

Esteja à vontade para comentar, desde que respeitosamente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s